domingo, novembro 04, 2007

O AMOR



A coisa com + leveza, que eu encontrei, até hoje, neste Mundo em que vivemos
sem sombras de dúvidas, foi efectivamente o amor.
E no entanto,
quantos pesadelos já escureceram a História, adiante, adiante
que a coisa ainda está preta, acerca deste sentimento.

Eu também já amei muitas vezes. Dizia.
Até que 1 dia destes, mais esclarecido cá por dentro de mim & sei lá porquê?
entendi mesmo, que tudo aquilo nada tinha haver com o amor.

Só há uns tempos para cá, é que me sinto habitado por essa coisa tão real –mente
muito leve, t ã o l e v e, que Re Parei há dias, por um acaso dos diabos
que nem sei explicar-vos
e então Vi que me nasceram 2 exactas asas, uma de cada lado simetricamente desiguais, claro,
a partir de um epicentro "central" das minhas costas.

- Evidentemente que os outros não as vêem, mas (cá pra nós) eu sei que elas estão mesmo lá.


José Alberto Mar

(Setembro de 2007, 2ª Versão)

-in, MINGUANTE Nº 8, "A LEVEZA"-

1 comentário:

helena disse...

Bom dia, JAM
Há muito tempo caladinha e (quem sabe) se não devia continuar assim...deparei-me com o teu "Amor"
Eu explico, que sei eu do amor?
Sei das "asas" mas daquelas que me transportam nas viagens do sonho com que percorro o Universo.
Um beijo
H.