quinta-feira, agosto 09, 2007

poema ainda cem título(s)

Saudar o Sol 3 vezes
Saudar a Lua também 3 vezes
Saudar o Dia 3 vezes
Saudar a Noite também 3 vezes

... ... ... ...

são assim os meus dias
e nos intervalos, passear-me por entre
belas florestas com muitas cores
(nas árvores, nas plantas, nas flores, nos animais, sobre-
tudo, às vezes, nos pássaros a iluminarem o azzzul
em arco-irís cheios de leveza e canções mudas
de amor assim).


dizia eu, passear-me, também escutando
o meu grande amigo de sempre
uma onda e depois outra
onda
e depois, ainda
ou tra,
onda
que chega adormecer aos meus pés nus
mas não é verdade, Tudo volta a Ser
de novo a mesma-onda-outra vem beijar-me
as mãos, quando me inclino naturalmente
sobre
a
Vida
e, recebo o sal da água, enfim
ancorado em mim.

sei, como sou pequeno e ainda sou
salgado demais para com outros makakóides que poluem
a vida, todas as Vidas, mas
eu pressinto que anda por aqui um deus,
demasiado perto, ouço as luzes e perco o medo,
,aos poucos, também perco a escuridão
e deixo-me esquecer de Todo,
aquilo que fui (não era) : 1 simples esboço
de um ser que agora acorda para uma outra imagem
vã, essencialmente, vã, como todas
no entanto, vou continuar a saudar o Sol, a saudar a Lua
a saudar o Dia & a Noite, porque é daí
que me vem o eco lá longe da fonte
onde as águas invisíveis das estrelas + puras
cantam e cantam e encantam os meus(?) ouvidos



(coisa escrita à 1ª. A necessitar do re+Visões - A gosto de 2007)

-Dedicado à Helena (Blog: "ORION") e a Todos os amigos do peito que tenho(?), por este mundo a fora.




2 comentários:

helena disse...

Lindo poema, j.a.m.
Grata pela parte que me cabe.Grata por estar /ser nos teus amigos do peito (!)
...

"uma outra imagem
vã, essencialmente, vã, como todas"

vã - vaga - trazida
pelas vagas o nosso berço/Mar
Onde o Sol nasce e se põe
onde a Lua se reflecte

"no entanto, vou continuar a saudar o Sol, a saudar a Lua"

Continua a saudá-los, amigo
Beijos

EU.CÁ.VOO.CAMINHANDO disse...

claro, Helena, CLARO !

bj

(j.a.m.)